julho 16, 2002

Nada a dizer, nem o que fazer - só fazendo rimas ricas


Nesse frio, a melhor coisa pra se fazer é hibernar, definitivamente.

Quando vc quer fazer um monte de coisas - e tem tempo pra isso - o frio te impede. Putaquepariu, é um saco mas é verdade.

Um monte de email pra responder, um monte de livros pra ler, um monte de filmes pra assistir - e o máximo que eu consigo é ver sites sobre groupies e mortes de celebridades. Acreditem, nem sei como fui parar nesses sites, mas a minha curiosidade é maior do que a minha criatividade para escrever roteiros. Ah, sim, lembrei, estava pesquisando para o top 10 das pessoas que deveriam ressuscitar (porra, é difícil terminar essas listas, ratkin)...

Eu adoraria ter um monte de projetos na cabeça como o Ratkin, mas tem muito mais coisas na minha cabeça do que projetos ou ranho (em sua homenagem!).

Sabe aquele episódio dos Simpsons que a cigana amaldiçoa todos os seres amados pelo Homer? Bem, não acredito que fui amaldiçoada, nem por cigana nenhuma ou qualquer ser com mais pelos do que uma mulher. A vida é cheia de altos e baixos, já diria o cliché, mas no meu DNA está com certeza: sensibilidade extrema aos baixos / felicidade momentânea aos altos.

Eu adoro como a minha vida está no momento, morar all by myself é a melhor coisa do mundo, mas o medo do futuro paira no ar, ainda mais quando vc vive numa merda de país onde o maior orgulho é o futebol - por mais merda que seja.
Queridos leitores, fiquem sabendo que eu tive uma depressão foda (mas ninguém me salvou 3 vezes da morte, viu Gui? nunca fui suicida nem tenho vocação), e às vezes acho que isso é crônico, volta mais cedo ou mais tarde, etc. Nunca mais quero sentir a dor que eu sentia e nem vou (espero). Por isso que essas instabilidades da vida (qualquer um tem, eu sei) me assusta, eu sei o que é quase vegetar e tenho medo que meu estado atual seja esse - ficar na internet procurando qualquer tranqueira de assunto e deixando um milhão de coisas de lado.

Mas tudo é uma fase, é o que todos dizem e eu acredito. Estou há um mês sem fazer porra nenhuma no meu trabalho. Isso me leva ao estado bored ao extremo - my boredom has outshined the sun.
E as pessoas que trabalham comigo são super solidárias, tipo, AMIGAS de verdade, algo que eu nunca achei que ia existir naquele lugar e confiam em mim, e principalmente, eu confio nelas. Principalmente porque duas dessas pessoas são homens - amigos, confidentes e sinceros - e uma mulher, a única que eu confio (sem contar uma amiga do mundo virtual que pessoalmente eu não conheço mas sei que ela é kick ass demais). As amizades que tive durante meus 22 anos me dizem: nunca confie em mulheres nem em viados: elas vão te derrubar porque não são legais como vc e "elas" vão tentar te derrubar por não ter personalidade nem culhão pra ser como vc. Yeah, pode soar machista mas não é. Se eu nascesse homem não sei o que faria, com tanta mulher que só pensa em roupas e shampoo e com tanto viado aí que só pensam em don't wanna short dick man... Homem é o melhor amigo mesmo, né Ratkin?

Esse post hoje é dedicado às mulheres ou às quase mulheres - aquelas que são capazes de não te dar crédito no trabalho só porque seu crédito bancário aos 22 anos é igual ao delas aos 38 anos. Ah, e aos bêbados - um deles vai me fazer trabalhar esse final de semana inteiro.

Agora eu vou dormir, e um long dong e um fingerbang bang pra todos esses últimos.

Ratkin, come save me from the awful sound of nothing.